Jornal em Movimento
Pesquisa

Palestra alusiva ao "Conhecimento do Euro"
Por Engrácia Bastos (Professora), em 2015/12/13414 leram | 0 comentários | 77 gostam
Turmas 10ºA2 e 10ºE participaram na terceira palestra no âmbito da literacia financeira.
Pedro Farrim, 10ºA2

No dia 18 de novembro, a convite da professora de Economia, Engrácia Bastos, as turmas do 10ºA2 e 10ºE tiveram a oportunidade de assistir à terceira palestra no âmbito da literacia financeira,que versou o Conhecimento da Nota e Moeda do Euro,da responsabilidade do Dr. José Custódio Silva, do Banco de Portugal.
O palestrante começou por fazer uma breve abordagem à evolução histórica do Banco de Portugal e, a seguir, falou-nos acerca das séries e das características das notas existentes, bem como das novas notas que saíram, especialmente da nota de 20€, cujo lançamento no mercado será no dia 25 de novembro, especificando as diferenças entre ambas. Referiu, ainda, que o Banco de Portugal era o único banco no nosso país que podia emitir notas; mostrou-nos como eram feitas, salientando que eram 100% em algodão para dificultar a contrafação. Além disso, para dificultar o trabalho dos contrafatores, vários aspetos foram melhorados nas notas, como a marca de água, a janela com retrato, o holograma e o número esmeralda, entre outros elementos de segurança. Alertou-nos para os cuidados a ter com as notas e disse que há diferença entre notas contrafeitas e notas falsas, enquanto estas são notas verdadeiras que foram modificadas, por exemplo acrescentando à nota de 20€ um zero para a converter em nota de 200€, as notas contrafeitas são produzidas de raiz por contrafatores. Partilhou connosco o caso de um senhor ter pago as suas compras numa mercearia alemã com uma nota que antes era de 20€, mas modificou-a, passou a ser de 30€ e a senhora do Caixa deu-lhe o troco sem se aperceber.
O Dr. Custódio ainda nos informou que as moedas de 1€ e 2€ eram pouco magnéticas, mas as de 10, 20 e 50 cêntimos eram fortemente magnéticas.
Por fim, o Dr. Custódio convidou-nos a observar, tocar e verificar, com recurso a um aparelho adequado, as notas falsas e as verdadeiras e teve a gentileza de nos oferecer um dossiê com vários documentos informativos do Banco de Portugal.
Com esta palestra, que achei muito interessante, posso concluir que adquiri novos saberes, como a existência de pessoas campeãs da paciência que procuram investigar quanto dinheiro as pessoas perdem quando as notas se danificam por motivos diversos, tentando encaixar as imensas partes milimétricas, compondo as notas de forma a ficarem como novas.
Devido a todos estes conhecimentos que obtive, considero que foi uma experiência enriquecedora.

Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário